Convidados Mesa 5 – 12 de dezembro

DIA – 12/12 – Sábado

18h30 – 19h30MESA 5 – “A Fotografia das Periferias – Desafios” – Sobre os desafios enfrentados para fomento e difusão da pujante produção fotográfica realizada por fotógrafos das periferias urbana, dos povos indígenas, e de regiões do país fora dos eixos de poder.

Mediador: Dante Gastaldoni (RPCFB)

Acompanhe pelo Facebook ou Youtube da RPCFB

Richard Wera Mirim, tenho 17 anos, mora na aldeia Pyau na Terra Indígena Jaraguá. Desde pequeno interessado em registrar os acontecimentos na aldeia. De uma festa de amigos a uma reunião com os parentes na Opy (casa de reza Guarani), fortalecer a luta do seu povo e contribuir com a proteção do planeta, o modo de vida e cultura do povo Guarani. Comunicador da aldeia, administra as páginas do Facebook – Existe Guarani em SP e no Instagram @midiaguaranimbya.

Marcelo Rocha, 23 anos, fotógrafo, ativista em educação, negritude e mudanças climáticas. Uma das vozes brasileiras na COP25, foi indicado pela ONU como um dos 100 negros mais influentes do mundo. Atua
principalmente com periferias de São Paulo, onde idealizou o festival
Favela em Casa e o Fundo Emergencial de Apoio a Artistas e Coletivos de Favela. Além de receber prêmio Arcanjo de Cultura com a mostra “QUEBRADA: São Paulo, na visão dos cria.”

Josiane Santana

Fotógrafa documental, jornalista por formação, começou a fotografar em 2013, através do projeto Nave do Conhecimento, no Complexo do Alemão. A favela em que nasceu é a principal inspiração para o seu processo criativo e reflexivo de suas vivências, memórias e afetos. Participa ativamente de iniciativas culturais e artísticas e em 2016, foi selecionada para integrar o projeto Favelagrafia, coletivo que reúne nove fotógrafos moradores de nove diferentes favelas do Rio de Janeiro. O objetivo do projeto é desconstruir preconceitos sobre as imagens da favela e trazer um novo olhar sobre elas, um olhar de dentro para fora, o olhar do morador dono deste lugar de fala, que conhece melhor do que qualquer outra pessoa, o cotidiano desses territórios. Um olhar comprometido com os Direitos Humanos.

Suas fotografias já foram estampadas nos principais jornais do Rio, Sampa e Minas Gerais, e também em mídias internacionais como CNN e El Correo da Espanha. Em 2016 e 2019, teve suas fotografias expostas no MAM – Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Em 2017, o projeto Favelagrafia ganhou dois leões de bronze, no Festival Cannes Lions, na França, nas categorias Design e Entretenimento.

Karine Araújo

Karine iniciou suas movimentações em Artes Visuais, fotografando o cotidiano da periferia de Fortaleza com o celular, em 2016. Participa de diversas ações na promoção de arte e cultura, como exposições, zines coletivas e mesas de discussões. Atua individual e coletivamente, contribuindo em processos de movimentação nas artes visuais como curadora e produtora de oficinas e eventos.

Leandro Anton

Fotógrafo e geógrafo. Mestrando no Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Educador Popular do Ponto de Cultura Quilombo do Sopapo desde 2007. Integrante e fundador do Coletivo Fotográfico Imagens Faladas. Prêmio Culturas Populares do Ministério da Cultura em 2017. Ganhador da Categoria Projeto Gráfico no Açorianos de Música 2019. Coordenador do Comitê Gestor da Política Cultura Viva RS.

Marcela Bomfim

Economista, era outra até os 27 anos. Na capital paulista, acreditava no discurso da meritocracia. Já em Rondônia, adquiriu uma câmera fotográfica e no lugar das ideias deu espaço a imagens e contextos de uma Amazônia afastada das mentes de fora; mas latentes às vias de dentro. As lentes foram além; captando da diversidade e das inúmeras presenças negras; potências e sentidos antes desconhecidos a seu próprio corpo recém-enegrecido. 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *