Produção e Gestão Cultural na Fotografia

A cerimônia do Mérito Cultural na Fotografia da RPCFB, comemora 10 anos da Associação com sua 1ª edição realizada em 12 de dezembro de 2020. Teve início como com a fala da Presidenta da Rede, Isabel Gouvêa, que destacou o histórico de atuação da associação, sua importância para a produção cultural em fotografia nesses últimos 10 anos e anunciou a homenagem a Iatã Canabrava, por ter idealizado a criação da Rede.

Leia abaixo e saiba mais sobre os agraciados na categoria Produção e Gestão Cultural na Fotografia.

Mestre de Cerimônia: MARIA LUCILA HORN – SC (Diretora Regional Sul)

1ª Edição – Lista de agraciados

Iatã Canabrava

IATÃ CANABRAVA nasceu em 1962 em São Paulo, onde vive. Fotógrafo, curador e agitador cultural, desenvolveu ao longo de sua carreira trabalhos documentais com a paisagem urbana das cidades, especificamente das periferias das grandes metrópoles. Participou de mais de 40 exposições, foi ganhador de vários prêmios e bolsas. Publicou três fotolivros, suas fotografias integram as coleções MASP-Pirelli, Galeria Fotóptica, Joaquim Paiva, MAM/São Paulo, Fundação Marcos Amaro e Museu Afro-brasileiro e estão publicadas em doze livros de autoria coletiva. Criou e dirige o conjunto de empresas do Estúdio Madalena: editora, livraria, escola, produtora cultural e documentação fotográfica. Como agitador cultural, foi presidente da União dos Fotógrafos de São Paulo de 1989 a 1994, foi o fundador e primeiro presidente da Rede de Produtores Culturais da Fotografia no Brasil em 2010, realizando uma importante mobilização e organização dos produtores culturais da fotografia no país.

Entrega do Mérito: Sofia Fan

Zeka Araújo

ZEKA ARAÚJO nasceu em 1946 no Rio de Janeiro. Completa em 2020, 53 anos de profissão. Trabalhou nos principais jornais e revistas do país, como O Cruzeiro, O Globo, Placar. Foi editor de fotografia da Revista Manchete e Jornal do Brasil. Entre 1974 e 1977, atua como correspondente da Editora Abril em Londres, período em que produziu reportagens em cerca de quinze países. Em 1979 cria e dirige o Núcleo de Fotografia da FUNARTE, embrião do Instituto de Fotografia – INFOTO. Foi pioneiro na concepção de uma política pública federal no campo da Fotografia. Foi curador da exposição brasileira no III Colóquio latino-americano de Fotografia do México em 1982.  Foi um dos fundadores da Agência Casa da Foto, curador de fotografias do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro – MAM. Em 1986 torna-se sócio da Agência F-4, tendo como clientes a Revista de Domingo do Jornal do Brasil e a Revista Newsweek. Em 1988 Publica o livro “MEU QUERIDO JARDIM BOTÂNICO DO RIO DE JANEIRO” em parceria com o poeta e compositor Tom Jobim. Em 1990/91 foi editor de fotografias do Jornal do Brasil. Em 1995, foi homenageado com o Prêmio Nacional da Fotografia da Fundação Nacional de Arte por sua valiosa contribuição ao desenvolvimento da fotografia brasileira. Expôs em diversos centros culturais e museus no Brasil e exterior.

Pedro Vasquez

PEDRO VASQUEZ nasceu em 1954 no Rio de Janeiro. Fotógrafo, escritor, historiador, curador e professor. Nos anos 1980, destaca-se como administrador cultural e incentivador da fotografia no cenário artístico brasileiro: responsável pela criação do INSTITUTO NACIONAL DE FOTOGRAFIA DA FUNARTE, em 1982, órgão que dirigiu até 1986, período de grande ativismo cultural e fomento da produção fotográfica em várias regiões do país. Realiza juntamente com sua equipe, as fundamentais Semanas de Fotografia da UNARTE, integrando e formando fotógrafos de todo o país e ao mesmo formulando propostas de políticas públicas nacionais e locais. Curador do Departamento de Fotografia, Vídeo e Novas Tecnologias do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, até 1989. Entre os anos 1980 e 1990, trabalha como editor de fotografia das revistas Photo Camera e Best View, e do jornal O Dia. Autor de 30 livros, destaca-se pelas pesquisas no campo da fotografia realizada no Brasil no século XIX. Elabora estudos pioneiros nessa área, e escreve livros de referência.

Rubens Fernandes Junior

RUBENS FERNANDES JUNIOR nasceu em 1949, em Rio Claro, SP. Pesquisador e curador independente de fotografia. Doutor em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP, é Professor e Diretor da Faculdade de Comunicação da Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP). Curador do Prêmio Fundação Conrado Wessel de Fotografia e membro da Associação Paulista de Críticos de Artes (APCA). Como diretor do NAFOTO – Núcleo dos Amigos da Fotografia – realizou dez edições do Mês Internacional de Fotografia de São Paulo entre 1993 e 2011. Foi membro do Conselho Curador da Coleção Pirelli-Masp entre 1991 e 2015. Realizou Curadorias de exposições fotográficas, individuais e coletivas, no Brasil e no exterior. Recebeu Prêmios pelas exposições de Mario Cravo Neto, no MASP e de Geraldo de Barros, na Galeria Brito Cimino. Recebeu o Prêmio Marc Ferrez de Fotografia, categoria Pesquisa, em 2014. Publicou vários livros e ensaios entre eles: Papéis Efêmeros da Fotografia, Fotografia em Revista e Labirinto e Identidades – Fotografia Brasileira Contemporânea.

Rosely Nakagawa

ROSELY NAKAGAWA nasceu em 1954 em São Paulo. Curadora independente, criou a primeira galeria de Fotografia em São Paulo, a Galeria FOTOPTICA com Thomaz Farkas em 1979. Coordenou a Casa da Fotografia FUJI de 1996 a 2004 com Stefania Brill. Foi curadora das galerias FNAC de 2004 a 2010. Como curadora independente, realiza mostras e edições de livros Fotografia de fotógrafos brasileiros e estrangeiros, tendo trabalhado com: Anna Mariani, Carlos Moreira, Cristiano Mascaro, Eduardo Viveiros de Castro, Fernando Lemos, Keiichi Tahara, Luc Chessex, Luis Braga, Luiz Gonzalez Palma, Mario Cravo Neto, Martin Chambi, Maureen Bisilliat, Pedro Lobo, Sebastião Salgado, Thomaz Farkas, Tiago Santana, Guy Velloso entre outros nomes da fotografia contemporânea ao longo dos últimos 40 anos. Como comissária e curadora de mostra de artes visuais, atua em inúmeros Museus e Instituições no Brasil e no exterior, como Pinacoteca do Estado de São Paulo, Museu de Arte Contemporânea SP, SESC, Guggenheim e MOMA em Nova York, Fundação Gulbenkian em Lisboa, entre outros.

Gustavo Moura

GUSTAVO MOURA é paraibano e fotografa desde 1980. Ativista cultural pela fotografia da Paraíba, realizou em 1994 a primeira Semana Paraibana de Fotografia no Festival Nacional de Arte – FENART em João Pessoa, tendo coordenado as atividades deste por vários anos. Realizou ainda o Setembro Fotográfico em 2011 e 2012. Em sua trajetória ganhou evidência o universo ambiental e cultural do Nordeste brasileiro, com a publicações de 16 livros, entre eles, Imaginário; Primeiro Caderno da Fotografia Brasileira; A primeira luz do Sonho; O Rei e o Baião. Sua ligação com o universo temático da cultura nordestina, foi ampliada quando da realização do projeto editorial Do Reino Encantado que aborda a vida e obra do escritor Ariano Suassuna. Participou de numerosas exposições pelo país e possui obras em importantes acervos.

Aristides Alves

ARISTIDES ALVES nasceu em Belo Horizonte e vive desde 1972 em Salvador. Foi o idealizador e principal líder do Movimento FOTOBAHIA no período 1978-1984, realizando Exposição Coletivas que mobilizaram a cena da Bahia, sempre associadas a Oficinas, Debates e Formulação de propostas de políticas públicas no universo da Fotografia. Foi coordenador do Núcleo de Fotografia da Fundação Cultural do Estado da Bahia, produziu e editou o livro A Fotografia na Bahia (1839/2006), importante inventário da produção fotográfica do Estado. Foi um dos fundadores da Agência ASA, e correspondente agência F4.  Participou da diretoria da Rede de Produtores Culturais da Fotografia e do Fórum Baiano de Fotografia. Realizou diversas exposições individuais e coletivas no Brasil e no exterior. Tem 18 livros publicados.

Entrega do Mérito: Sérgio Burgi

Miguel Chikaoka

MIGUEL CHIKAOKA nasceu em Registro, São Paulo, em1950. Vive em Belém do Pará desde 1980. Formado e pós-graduado em engenharia, passa a trabalhar, em 1980, como repórter fotográfico em Belém. Foi colaborador das agências F4 e N Imagens, integra a cooperativa Kamara Kó (“os amigos”, em língua tupi). Dedica-se aos problemas ambientais da Amazônia e a processos criativos e formativos coletivos. Promoveu iniciativas como o Foto-Varal (exposições em locais públicos da capital paraense), além de oficinas e palestras. Fundou em 1983 o grupo FOTOATIVA, mais tarde transformado em associação, que atua até o presente momento agregando inúmeros fotógrafos e ativistas culturais, nestes mais de 30 anos. Foi coordenador da 1ª e da 2ª Mostra Paraense de Fotografia, realizadas em 1982 e 1983. Destacou-se como um dos mais empenhados e singulares educadores de fotografia do país, tendo exercido profunda influência sobre gerações de fotógrafos paraenses e brasileiros. Atua através de Oficinas em todo o país, disseminando o conhecimento e o despertar da sensibilidade através do olhar, utilizando a fotografia como instrumento. Recebeu em 2012 a Ordem do Mérito Cultural do Ministério da Cultura, como reconhecimento por sua contribuição para com a Cultura Brasileira.

Makiko Akao

MAKIKO AKAO nasceu em 1950 no Japão e vive em Belém do Pará. Produtora, ativista cultural, editora e galerista, atuou fortemente nas atividades da FOTOATIVA, tendo feito parte da Diretora em dois períodos. Sócia da Agência Kamara-Kó de Fotografias desde 1991, trabalha com seleção e edição de imagens, projetos de exposição, edição de livros de fotografias e outros projetos culturais.   É criadora e proprietária da Kamara Kó Galeria de Fotografia, importante espaço de divulgação e experimentação para artistas paraenses e projetos direcionados para formação de novos colecionadores de arte através de projetos como “Minha Primeira Obra” e “Coletivo de Dezembro” e mais recentemente o “Experiência Curatorial” espaço de experimentação de novos curadores. Produziu inúmeras exposições em Belém, Brasília, São Paulo e em Lima no Peru. Idealizadora do Projeto Circular Campina/ Cidade Velha, onde foi coordenadora até a 20º Edição, período de 2013 a 2017.

Milton Guran

MILTON GURAN nasceu em 1948 no Rio de Janeiro. Fotógrafo, mestre em Comunicação Social e doutor em Antropologia na França com pós-doutorado na USP. Foi um dos fundadores da AGIL Fotojornalismo (Brasilia, 1980) e fotógrafo do Museu do Índio / Funai (1986 – 1989). Ganhador da Bolsa Vitae de Artes (1991) e, por duas vezes, do prêmio Marc Ferrez da Funarte. Em 2016, foi contemplado no programa Rumos Itaú Cultural pelo projeto Acervo Agudá. Seus trabalhos fazem parte das coleções MASP-Pirelli, do MAM-Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, MAR – Museu de Arte do Rio e da MEP – Maison Européenne de la Photographie, dentre outras, públicas e privadas. Autor de Linguagem Fotográfica e Informação e Agudás – Os Brasileiros do Benin, dentre outras obras e artigos no campo da fotografia e da antropologia. Curador na área de fotografia, é um dos coordenadores do FotoRio, iniciativa importante no fortalecimento de processos coletivos de produção cultural em conjunto com os Encontros de Ocupação Visual.  Participa desde a fundação da Diretoria da Rede de Produtores Culturais da Fotografia no Brasil, sendo o atual vice-presidente.

Clício Barroso

CLÍCIO BARROSO nasceu em 1950 em São Paulo, onde vive. Começou a trabalhar em 1974 de câmera de cinema na SONIMA, com George Füster e Rudolf Iksey, ao mesmo tempo em que cursava a escola de fotografia profissional Camera Photoagentur da Nikon School. Em 1975 foi contratado pela Editora Abril para trabalhar no Estúdio Abril. Em seguida montou estúdio próprio e fez carreira como fotógrafo em São Paulo, Rio de Janeiro, Estados Unidos e Europa, fotografando editoriais de moda e publicidade. Atualmente, trabalha como impressor fineart e fotografa para agências nacionais e norte-americanas. Participa regularmente de exposições, e por três vezes recebeu menção honrosa do Prêmio Abril de Jornalismo, na categoria Fotografia. Tem ministrado cursos e palestras, no Brasil e no exterior, em instituições como o SENAC, UEL, Escola Panamericana e Universidade Positivo. No Japão, tendo lá ministrou 7 workshops e 3 palestras sobre fotografia e tecnologia digital. Clicio é autor de 8 livros sobre tecnologia digital aplicada à fotografia. Foi Presidente da Fototec e participou ativamente junto a Iatã Canabrava como fundador da Rede de Produtores Culturais da Fotografia em 2010. Sua atuação na época contribuiu de forma efetiva para o fortalecimento do processo de implementação e sustentabilidade.

Orlando Azevedo

ORLANDO AZEVEDO nasceu em 1949 nos Açores e reside em Curitiba desde a década de 1960. Um dos baluartes da fotografia paranaense, desenvolvendo intensa atividade fotográfica, tendo realizado inúmeras exposições e publicado diversos livros. Desempenhou significativo papel como agitador cultural, tendo sido diretor de Artes Visuais da Fundação Cultural de Curitiba em dois períodos. Foi responsável pela criação da Bienal de Fotografia Cidade de Curitiba, em 1996, importante inciativa que contribuiu imensamente para o fortalecimento da cena fotográfica local e nacional. Entre seus livros publicados, figuram: Fitas e bandeiras Venske, Nossa Terra,Jardim de Anões, Sudarium e Expedição ao Coração do Brasil, a ambiciosa obra em três volumes (TerraHomemMito) resultado de 70 mil quilômetros de viagem por todo o Brasil durante o período de 14 meses.

Joaquim Paiva

JOAQUIM PAIVA nasceu em 1946 em Vitória do Espírito Santo. Fotógrafo, colecionador e militante da fotografia no campo da cultura. Estudou direito na Universidade de Brasília e se dedicou à carreira de diplomata e começou a fotografar em 1970 quando se mudou para Brasília para iniciar sua carreira no Itamaraty. Em 1978, servindo como diplomata em Caracas, adquiriu as primeiras fotografias de sua coleção – duas de Diane Arbus. Desde então, não parou mais de colecionar e, claro, de fotografar. Como fotógrafo e colecionador, percorreu também as Américas e a Europa, participando de festivais, feiras e exposições. É leitor de portfólio convidado por diversos festivais espalhados pelo mundo e no Brasil. A Coleção Joaquim Paiva é hoje uma das mais completas do Brasil. Conhecida no Brasil e no exterior, ela se destaca por sua grande representatividade e por sua diversidade autoral e temática. Desde o início priorizou a produção brasileira contemporânea, procurando nomes que despontavam nos anos 1970, 1980, 1990 e 2000. Traduziu a obra de Susan Sontag, On Photography, para o português que nessa primeira edição teve o título “Ensaios sobre Fotografia”. Sua grande biblioteca de livros de fotografia e fotolivros terá o MAM – Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro como destino.

Entrega do Mérito: Susana Dobal

Patricia Veloso

PATRICIA VELOSO nasceu em Fortaleza, onde vive e trabalha. Atua no segmento da Fotografia, desde 1985, como produtora cultural, curadora e editora, sempre apoiando o desenvolvimento e a valorização da fotografia cearense e nordestina. Fundou e administra as empresas Terra da Luz Editorial e Imagem Brasil Galeria e Banco de Imagens. Idealizadora e diretora do Festival Encontros de Agosto, iniciativa realizada em Fortaleza/CE de 2011 a 2017, tendo como principal objetivo promover a fotografia cearense e o intercâmbio com a produção contemporânea brasileira e internacional. Em 2018, dá continuidade a este programa com nova proposta, o Verbo Ver Festival de Fotografia, ampliando parcerias e intensificando ações de circulação e formação. Participou de comissões de seleção em Festivais nacionais e internacionais. No segmento de promoção e difusão da cultura, coordena a IMAGEM BRASIL Galeria, um espaço dedicado à fotografia. Além de programação expositiva oferece ações de formação como cursos intensivos, oficinas, grupos de estudos e discussões voltadas para imagem e contemporaneidade. Colaborou na organização e fundação do IFOTO – Instituto de Fotografia do Ceará, atualmente compõe a diretoria da Rede de Produtores Culturais da Fotografia no Brasil e da Câmara Cearense do Livro e faz parte do Conselho de Curadoria do Museu da Fotografia de Fortaleza.

Carmen Negrão

CARMEN NEGRÃO nasceu em 1956 em São Paulo. Gestora, produtora de projetos culturais em fotografia, participou da gestão de cursos da Escola e da Pós-graduação em Imagem do Madalena CEI, coordenou o núcleo de formação dos festivais Paraty em Foco 2015, Valongo 2016/2017. Produção executiva da Feira Plana em 2018. Coordenação da pesquisa e do acesso digital ao acervo dos Boletins e Exposição Ativando Memórias Ativando Processos do Foto Cine Clube Bandeirante em 2018. Participa ativamente da RPCFB-REDE PRODUTORES CULTURAIS FOTOGRAFIA, atualmente na segunda gestão como Diretora Administrativa. Atuou como gestora da Rede no período de 2011 a 2013, participando da inclusão da RPCFB na CNIC – Comissão Nacional de Incentivo à Cultura em 5 Editais de 2012 a 2018, onde a Rede permanece até hoje ocupando uma cadeira no setorial de Artes Visuais. Participou da inclusão de quinze integrantes de vários estados do país no CNPC – Conselho Nacional de Política Cultural no Colegiado Setorial de Artes Visuais nos anos de 2013 e 2014. Atualmente é parceira da Editora Madalena especializada em fotolivros e livros de fotografia.

Tiago Santana

TIAGO SANTANA nasceu noCrato, Ceará em 1966. Ainda garoto fazia sessões de cinema para as crianças com o projetor Super 8mm do pai, que acompanhava em suas reuniões sociais e políticas pelo Sertão do Cariri. Atua como fotógrafo desde 1989, desenvolvendo ensaios pelo Brasil e América Latina. Foi contemplado com vários prêmios e bolsas, realizando inúmeros ensaios e publicação de livros marcantes como Benditos, O Chão de Graciliano e Céu de Luiz realizados em parceria com o jornalista Audálio Dantas. Em 2011 foi o segundo fotógrafo brasileiro a ter seu trabalho publicado na coleção de fotografia francesa Photo Poche. Tem trabalhos publicados em revistas e livros no Brasil e no exterior. Sua obra integra importantes acervos e coleções de fotografia. Ativista cultural no campo da Fotografia, organizou diversas Exposições e Festivais de fotografia como o Festival deVERcidade em 2010 e o SOLAR Festival Bienal Internacional de Fotografia. É fundador da Editora Tempo d’Imagem. Coordenou o Encontro Nacional de Festivais de Fotografia do Brasil e integra a Diretoria da Rede de Produtores Culturais da Fotografia do Brasil em diversas gestões.

Sinara Sandri

SINARA SANDRI nascida em, Cruz Alta-RS, vive em Porto Alegre. Jornalista, doutora em Comunicação e mestre em História. Seu trabalho acadêmico está ligado à pesquisa da visualidade e da ressignificação de espaços urbanos e desenvolveu um trabalho de especialização sobre fotografia como fonte histórica. Co-diretora e curadora do FestFoto – Festival Internacional de Porto Alegre nas 13 edições de 2007 a 2020. Participou do projeto de criação do Centro Cultural Palacinho – Fototeca do Rio Grande do Sul, e foi responsável pela programação, entre 2011 e 2014. Produziu a exposição da Coleção Pirelli/Masp no Museu de Arte do Rio Grande do Sul. Em 2020, foi curadora assistente da exposição Liquid City, no Art Museums of the Americas, em Washington. Atualmente, integra um grupo de trabalho sobre mulheres fotógrafas em cinco países da América Latina. É Leitora de portfólio convidada do FotoFest/Houston, PhotoLucida – Portland e FotoRio.

CARLOS CARVALHO nasceu em 1957 no Rio de Janeiro e vive em Porto Alegre. Trabalhou como fotógrafo free-lancer para as principais revistas e jornais brasileiros entre eles: O Globo, Jornal do Brasil, Folha de São Paulo, Estado de São Paulo, revistas IstoÉ, Veja, Senhor e Marie Claire e publicações estrangeiras como Time, Newsweek, Washington Post, entre outros. Co-fundador e co-coordenador geral do FestFotoFestival Internacional de Fotografia de Porto Alegre nas 13 edições de 2007 a 2020. Editor e produtor de livros de fotografia: “A Fotografia de Luiz Carlos Felizardo”- em 2011 e “VI VER”, antologia da obra de Nair Benedicto em 2012. Leitor de Portifólio em inúmeros Festivais de Fotografia no Brasil e no exterior, tais como FotoFest de Houston; Encunetros Abiertos de Buenos Aires; Fotograma no Uruguai; PhotoVisa na Rússia; Fórum Latino Americano de Fotografia de São Paulo, entre outros. Curadoria para a mostra de Fotografia Brasileira Contemporânea do Programa Latin American Heritage no Atlanta Celebrates Photography, em Atlanta/Estados Unidos.

Eugênio Sávio
foto de André Rettore

EUGÊNIO SÁVIO nasceu em 1966 em Belo Horizonte. Fotógrafo com vasta experiência profissional no fotojornalismo e na publicidade. Mestre em Comunicação e Cultura pela UFRJ, foi professor de fotografia da PUC Minas por três décadas. Como fotojornalista, colaborou com diversas publicações, jornais, revistas e agências internacionais. Fez também a cobertura de várias Copas do Mundo de Futebol e das Olimpíadas de Pequim de 2008.  Realizou por sete anos em Belo Horizonte, desde 2004, o Projeto Foto em Pauta, onde fotógrafos de todo o país realizavam palestras e debates apresentado seus trabalhos. A partir de 2011 passa a realizar o FESTIVAL FOTO EM PAUTA na cidade de Tiradentes, hoje na 10ª Edição, com realização de exposições, cursos, palestras, leituras de portfolios e lançamentos de fotolivros, com a presença dos autores. Promove a Mostra de Fotolivros e o Prêmio Foto em Pauta para Livro de Fotografia para edição e publicação de livros de artistas brasileiros. Participa da Rede de Produtores Culturais da Fotografia desde a sua fundação, tendo sido presidente na segunda gestão.

Quer assistir o vídeo da Cerimônia?

Acesse o link: Mérito Cultural na Fotografia – Comemorando 10 Anos da RPCFB do YouTube da RPCFB.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *