Orile

Fotógrafa Cristina Maranhão

Curadoria Renato Negrão

Orile é um projeto imagético que visa ressignificar o imaginário simbólico dos retratos produzidos pelo fotógrafo Christino Jr. durante o Brasil imperial dos negros escravizados. Para tanto este projeto buscou num diálogo entre a
fotografia histórica e a discussão contemporânea da fotografia híbrida, ferramentas para questionar a construção simbólica destes retratados numa série de colagens.

O projeto leva em seu título uma palavra de origem do povo Iorubá, onde Orile, esta é a maneira que se nomeia o ancestral familiar, ou seja, são os parentes que após a morte carregam a memória histórico familiar e possuem uma
relação ancestral a partir de pactos estabelecidos na origem (criação do ser), e assim é possível haver várias narrativas daqueles indivíduos.1 A partir desta ideia de ancestralidade surgiram as fotografias que apresentamos, a fim de debater a imagem dos negros escravizados no Brasil e trazer os olhares para a
discussão atual do racismo estrutural brasileiro. E gostaríamos de ressaltar que as imagens de Christiano Jr, foram produzidas para afirmar os tipos e as funções que os negros escravizados ocupavam no Brasil oitocentista,
associando ao imaginário que existia uma forma específica de retratar o negro, “ama de leite, negro de ganho, negra de mina” e assim por diante. Formando um imaginário social para este povo.

Fotos de Cristina Maranhão.

Assim, as fotografias que compõem o projeto são colagens que se apropriam das imagens históricas do fotógrafo Christiano Jr, e as associam com imagens do acervo pessoal da artista. Com esta nova ordem na construção semiótica das imagens os negros escravizados são destituídos da sua relação simbólica inicial, de subalternidade para outra relação, tornando-se divindades, próximas da relação ancestral e mítica na ordem da palavra Orile. Assim, a partir da técnica de colagem os retratos oitocentistas são destituídos do poder simbólico cristalizado (negros escravizados) para dar nova representação a estas personagens.
Este projeto inicia-se ainda em 2016, numa parceria com o coletivo paulista Legítima Defesa que discute o racismo estrutural brasileiro a partir de construções políticas-estéticas performáticas. Foram produzidas, inicialmente
12 imagens que fizeram parte da construção do espetáculo: A missão em fragmentos, 12 cenas da descolozinação em Legitima Defesa apresentada no ano de 2017, em São Paulo, durante a Mostra internacional de Teatro (Mit-sp).
Os retratos foram apresentados em formato de projeção durante a peça teatral construindo uma relação entre as imagens e o discurso do texto apresentado.

Após o termino da temporada, o coletivo continua produzindo discussões sobre a negritude no Brasil e as consequências que o colonialismo exerceu sobre os negros escravizados e consequentemente determinando o futuro da população negra brasileira. Assim, cada vez mais próxima do coletivo e das discussões, compreendi que as imagens construídas para o espetáculo possuíam força e mereciam continuar e ser transformada em uma série.
Logo, o projeto Orile, é fruto da necessidade de reconstruir uma relação simbólica dos negros escravizados e de sua ancestralidade, tendo raiz profunda na relação semiótica e simbólica das forças da natureza que são
elementos fundantes na relação do povo Iorubá e de seus cultos religiosos que no Brasil é denominado de Candomblé. Assim, acreditamos travar uma “briga” no campo simbólico para uma reconexão entre o sagrado, o ancestral e o povo negro que foi retirado de sua terra e escravizado nas colônias pelo mundo alterando um futuro possível. Sendo assim, a exibição, produção e reformulação de uma memória imagética inicia ou mesmo propõem
possibilidades de um novo futuro. Orile está em construção pois são muitas as imagens que Christiano Jr. produziu e assim, busco ressignificar a totalidade destas e que foram apresentadas no livro Escravos Brasileiros do século XIX na fotografia de Christiano Jr..

1 LEITE, Fábio. A questão Ancestral África Negra. Palas Athenas, São Paulo. 2008.

Trilha Sonora: Luis Zanetti

Data: 09 de novembro de 2021 às 17 horas

Local e links: Mostra Sesc Cariri de Culturas https://www.youtube.com/watch?v=6Y5MJfvi2_0

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.