A Rede está viva! Ela está coesa! Ela está operando!

A expressão, de Milton Guran, sobre a atuação da Rede no ano de 2021,  encontrou eco nas falas de outros associados presentes na assembleia geral ordinária da Rede de Produtores Culturais da Fotografia no Brasil.

Convocada para prestar contas aos associados os relatos da Diretoria Executiva, do Conselho de Administração e dos Grupos de trabalho provocou um sentimentos de entusiasmo frente as atividades para o próximo ano de gestão.

Apesar das medidas de isolamento, adotadas em função da epidemia da COVID-19, a Diretoria e seus associados atuaram em várias frentes. Para Miguel Chikaoka “o isolamento social impôs novas forma de atuação, inclusive a remota e isso nos fortaleceu, nesse processo houve um amadurecimento gradativo e a Rede tende a crescer se continuarmos nessa perspectiva.”

Para se ter uma ideia, o relato da direção, descreve a participação da associação na mobilização para aprovação e implantação da Lei Aldir Blanc, Aldir Blanc 2 e Lei Paulo Gustavo, a participação no Fórum Brasileiro pelos Direitos Culturais, a organização da primeira Conferência sobre Fomento, a criação do Mérito Cultural na Fotografia, a aprovação da revisão do Estatuto, as ações do grupo de governança, a ativação do Conselho de Administração, as ações administrativas, tais como, a mudança de endereço, a regularização da Rede junto à Receita Federal, a campanha de financiamento voluntário e abertura de conta corrente.

Os relatos dos grupos de trabalho Memória, Fomento e Formação destacam as propostas de mapeamento das ações no campo da fotografia como, por exemplo, o resgate da memória viva de fotógrafos ativistas, de arquivos e acervos em risco, de festivais, encontros e outras ações, dentro e fora da Rede e de ações de formação formais e não formais no campo da fotografia.

O GT Comunicação relata sobre as alterações no site e suas ações de comunicação nas redes sociais, que renderam um aumento significativo de seguidores e destaca a criação de campanhas de divulgação do Estatuto novo, o envio de conteúdo para publicação e a criação da newsletter da comunicação, todas com a intenção de fortalecer o vínculo com os associados e seguidores da Rede.

Algumas reflexões e propostas foram feitas durante a assembleia, dentre elas, a de se pensar na forma de organização dos GTs, em função do tempo disponível para concluir os trabalhos, a de se discutir a diminuição dos editais públicos e privados de fomento específicos para o campo da fotografia, a de a Rede se qualificar para ter representação no Conselho Nacional de Incentivo Cultural – CNIC e a de participação dos associados na seleção do Prêmio Marc Ferrez de Fotografia, apesar de a edição de 2021 ser diferente das dos anos anteriores.

Com essa ideia de “a Rede está viva! Ela está coesa! ela está operando!” a prestação de contas e relatórios de atividades foram aprovados por todos.

Acesse a ata e os relatos apresentados na assembleia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.