A Rede tem novo Estatuto Social

Com registro em cartório neste mês de julho o novo Estatuto passa a reger a atuação da RPCFB

Aprovado pela assembleia em maio deste ano, o novo Estatuto Social passa a regular a atuação da Rede na execução de seus objetivos. “Ele é uma peça jurídica fundamental para a Rede poder se posicionar como representante do campo da produção cultural de fotografia no Brasil”, define Felipe Garofalo, associado e membro do grupo de trabalho que redigiu a minuta do Estatuto.

O novo texto é fundamentado nas experiências acumuladas desses últimos dez anos de atuação e reflete mudanças na estrutura organizacional, incluem novas formas de realização de assembleias e reuniões virtuais, ajustes nos cargos e funções das diretorias e grupos de trabalho, aspectos relevantes não contemplados no estatuto original, que a prática destes anos demonstrou serem necessárias.

Isabel Gouvêa, presidenta da associação, define o estatuto com se fosse a espinha dorsal do trabalho “é ele que define um contrato entre pessoas que estão se unindo para fazer um trabalho em conjunto.” Trabalho esse que teve seus objetivos ampliados com a aprovação de proposta formulada por Luis Baltar. O novo texto ficou assim:

Artigo 2º – A REDE tem por finalidade fomentar, apoiar e promover políticas públicas e privadas, atividades, programas e projetos no campo da produção cultural da fotografia, em especial nas áreas da cultura, comunicação, memória, educação e transformação social, trabalhando para uma integração latino-americana e por uma democratização visual que inclua a participação das minorias historicamente excluídas.

A aprovação do novo estatuto é o ápice de um processo iniciado em abril de 2020, com a formação de um grupo especial de trabalho formado por Adriele Silva da Silva, Alberto Melo Viana, Carmen Negrão, Celso Palermo e Felipe Garofalo. Semanalmente, o grupo, levantou pontos e sugestões para o estatuto. Em julho 2020, passa a se reunir com a Diretoria Executiva e em outubro com os membros do Conselho de Administração, Conselho Fiscal e Diretorias Regionais. Em cada encontro o grupo recebeu contribuições e, com elas, aperfeiçoa o texto da minuta, para em abril de 2021 ser entregue a todos os associados antes da assembleia convocada para sua aprovação.

Para Miguel Chikaoka, diretor institucional, o que mais o tocou foi esse processo, dizendo que “na sua vida nunca tinha visto, nunca vivi esse processo de dar uma atenção muito grande, com muito carinho, muito cuidado na construção de um texto de estatuto.”

Para Felipe Garofalo o momento agora é de se apropriar do novo estatuto. “Ele é um instrumento dos associados para organizar não só a vida interna da Rede, mas para demandar e se organizar socialmente”.

Clique aqui: Estatuto aprovado e leia o estatuto.

Assista o vídeo #conheçaoestatuto!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *